O papel é fundamental para a construção de um futuro circular em embalagens

O papel é fundamental para a construção de um futuro circular em embalagens

O papel é fundamental para a construção de um futuro circular em embalagens

English version available below.

 

Em Setembro de 2020, ocorreu O Fórum ABRE de Economia Circular, promovendo uma excelente discussão sobre os caminhos para a economia circular na cadeia produtiva de produtos e suas embalagens. O evento foi capitaneado pela ABRE (Associação Brasileira de Embalagem), que existe há mais de 50 anos e atua no estímulo do desenvolvimento do mercado de embalagens nacional e internacional.

A presença de mais de 800 participantes de todo o Brasil confirma o quão relevante é esta discussão na atualidade, pois tendo claro a inegável importância da embalagem na proteção, transporte e comunicação do produto, devemos buscar soluções para desenhar o melhor fechamento do ciclo de vida destes produtos. Foram abordados os pontos de vista e iniciativas de Economia Circular das empresas do setor de embalagem, bem como suas melhores práticas destrinchadas por diversos especialistas.

Promover a discussão em que tudo o que consumimos possa de alguma forma ser reinserido no sistema através da retornabilidade, reuso, reciclagem ou mesmo uso estendido são metas que tem se aproximado da realidade à medida que avançamos em conhecimento tecnológico e na conscientização ambiental. Desta forma, substituímos o sistema de economia linear, cuja lógica de extração, industrialização, consumo e descarte resulta em montanhas de resíduos, acumulados em grandes aterros quando não são indevidamente descartados no meio ambiente.

A circularidade do papel

Olhando a partir da perspectiva do papel, presente nas mais diversas aplicações, de sacolas de supermercado à embalagens esterilizadas de instrumentos hospitalares, ao longo da pandemia a embalagem de papel ganhou ainda destaque nas compras online e delivery por atrelar proteção e praticidade com sustentabilidade.

O Brasil figura entre os principais países recicladores do mundo com uma taxa de recuperação de papel de aproximadamente 80% do que é produzido para embalagens¹. Além de naturalmente favorecer a circularidade, estas altas taxas de reciclagem do papel geram renda para mais de 1 milhão de pessoas que vivem exclusivamente da coleta e separação do lixo no país.

O avanço contínuo deste processo deve integrar toda a sociedade organizada, com produtores, consumidores e pesquisadores se relacionando para criar um ecossistema econômico sustentável. De acordo com pesquisas² sobre comportamento dos consumidores das gerações Y e Z (nascidos a partir de 1980), a grande maioria prefere comprar de empresas que apoiam causas sociais e estão preocupados com o impacto ambiental do lixo. Esta crescente conscientização da sociedade, e a vontade do consumidor de contribuir com a circularidade na cadeia de embalagem deve estar intrinsecamente ligada as ações da indústria.

Nesse sentido, Luciana Pellegrino, diretora executiva da ABRE, apresentou um projeto em andamento na ABRE e seus associados que é um dos pilares do fomento da economia circular na cadeia de embalagens no país. Trata-se da criação de uma simbologia para educação e orientação dos consumidores para o descarte adequado das embalagens. O objetivo é, cada vez mais, incentivar a utilização de materiais com maior potencial de reciclagem, indicar o correto descarte e aumentar a produtividade dos processos de separação resultando em maior valor econômico de toda a cadeia. A Ahlstrom-Munksjö endossa e apoia essa iniciativa que visa o desenvolvimento da Economia Circular no Brasil.

¹Dados Ibá, Indústria Brasileira de Árvores
²2017 Cone Gen Z CSR study: how to speak Z; 2016 Cone communications Millennial Employee Engagement study

Saiba mais sobre o Fórum ABRE de Economia Circular >>

 

 

Paper is fundamental for building a circular future in packaging

In September 2020, ABRE’s Circular Economy Forum took place, promoting an excellent discussion on the paths to the circular economy in the production chain of products and their packaging. The event was led by ABRE (Brazilian Packaging Association), which has existed for more than 50 years and acts in stimulating the development of the national and international packaging market.

The presence of more than 800 participants from all over Brazil confirms how relevant this discussion is today. As it becomes clear the undeniable importance of packaging in the protection, transportation and communication of the product, we must seek solutions to design the best closure of the life cycle of these products. The various points of view and initiatives of companies in the packaging sector were addressed, as well as their best practices discovered by various specialists.

Promoting a discussion in which everything we consume can somehow be reinserted into the production system through returnability, reuse, recycling or even extended use are goals that has been approaching reality as we progress in technological knowledge and environmental awareness. In this way, we replace the linear economy system, whose logic of extraction, industrialization, consumption and disposal results in mountains of waste, accumulated in large landfills when they are not improperly disposed of in the environment.

The circularity of paper

Looking from the perspective of paper, present in the most diverse applications, from supermarket bags to sterile packaging of medical instruments, throughout the pandemic, paper packaging has also gained prominence in online shopping and delivery for linking protection and practicality with sustainability.

Brazil ranks among the main recycling countries in the world with a paper recovery rate of approximately 80% of what is produced for packaging¹. In addition to naturally favoring circularity, these high rates of paper recycling generate income for more than 1 million people who live exclusively from the collection and separation of waste in the country.

The continuous progress of this process must integrate the whole organized society, with producers, consumers and researchers working together to create a sustainable economic ecosystem. According to surveys² on the behavior of consumers of generations Y and Z (born after 1980), the vast majority prefer to buy from companies that support social causes and are concerned with the environmental impact of waste. This growing awareness of society, and the consumer's willingness to contribute to the circularity in the packaging chain must be intrinsically linked to the actions of the industry.

In this sense, Luciana Pellegrino, executive director of ABRE, presented a project in progress at ABRE and its associates that is one of the pillars of the promotion of the circular economy in the packaging chain in the country. It is about creating an education and consumer orientation symbology for the proper disposal of packaging. The objective is, one step at a time, to encourage the use of materials with greater recycling potential, to indicate the correct disposal and to increase the productivity of the separation processes resulting in greater economic value for the entire chain. Ahlstrom-Munksjö endorses and supports this initiative aimed at the development of the Circular Economy in Brazil.

¹Data from Ibá, Brazilian Tree Industry
²2017 Cone Gen Z CSR study: how to speak Z; 2016 Cone communications Millennial Employee Engagement study

Read more about ABRE's Circular Economy Forum >> 
(page in Portuguese)

Receba as próximas edições do Papel Interativo!

Compartilhe essa páginaCompartilhe essa página